Radar Lisboa | Porto

LISBOA :: Graça Morais na Fundação Champalimaud

Captura de tela 2017-04-17 às 22.40.53

Numa sala pequena na imensa Fundação Champalimaud, há um caos organizado de pinturas de Graça Morais à espera de serem montadas em “Ressonâncias: da Voz e dos Ecos”. São cerca de 100 obras, desde os anos 1980 a alguns inéditos feitos nos últimos meses com referências directas à actualidade: o retrato do jovem de Ponte de Sor agredido pelos filhos do embaixador do Iraque, uma figura que transporta um bebé como se o tivesse salvo dos escombros da guerra, homens tapam a boca para respirar num incêndio.

As figuras que “salvam a humanidade” têm as caras metamorfoseadas em focinhos de carneiros, que Graça Morais associa à bondade e à beleza da sua infância em Trás-os-Montes. Em frente às duas pinturas de grandes dimensões que dão o tom à mostra, 20 Jan 2017 e 27 Jan 2017, as datas de tomada de posse de Donald Trump e do seu decreto anti-imigração, a pintora diz que esta dimensão política é a sua obrigação.

A mostra que entrou em cartaz dia 17 de abril, vai até dia 25 de abril, sempre a partir das 14h, com entrada gratuita.

Fundação Champalimaud

Avenida de Brasília, Lisboa

fonte: https://www.timeout.pt/lisboa/pt/arte/ressonancias-da-voz-e-dos-ecos#tab_panel_3

PORTO :: THE NADA

Captura de tela 2017-04-17 às 23.06.13Este projecto tem a sua génese na assunção de claras empatias musicais entre os seus membros, tendo sido a vinda de Simon Jermyn a Portugal um factor decisivo para a sua consolidação. Sendo o jazz o universo comum entre os elementos da banda, a premissa de “the Nada” é, desde o início, a da procura de novos cenários e influências de onde a improvisação também possa brotar, bem como a aplicação de conceitos composicionais provenientes de outras correntes musicais. A exploração sonora com recurso a efeitos electrónicos e a sua coexistência com sons acústicos alavanca, muitas vezes, o potencial pictórico e amplia a diversidade paisagística da formação. Sente-se a presença de elementos característicos da música electrónica, da música tradicional, do rock, da música improvisada e da composição erudita contemporânea e do jazz. The Nada pretende ser uma plataforma onde possa coexistir um beat de influência electrónica com uma melodia de índole tradicional. A improvisação e a expressão artística de carácter vincado são os elementos agregadores fortes do projecto.

Quinta-feira, 20 de abril, na Casa da Música, com entrada gratuita.

Casa da Música

Av. da Boavista, 604-610

fonte: https://www.viralagenda.com/pt/events/325924/the-nada-entrada-livre-20-abr